Curso de Aplicaçoes WEB em PHP: 09. Estruturas de Controle

Author: Ricardo Soares - Postado em: 07/09/2009
Relacionado as categorias: Planeta PHP, Guias e Tutoriais, Tecnologia, Diversos |  





As estruturas que veremos a seguir são comuns para as linguagens de programação imperativas, bastando, portanto, descrever a sintaxe de cada uma delas, resumindo o funcionamento.

Blocos

Um bloco consiste de vários comandos agrupados com o objetivo de relacioná-los com determinado comando ou função. Em comandos como if, for, while, switch e em declarações de funções blocos podem ser utilizados para permitir que um comando faça parte do contexto desejado. Blocos em PHP são delimitados pelos caracteres “{” e “}”. A utilização dos delimitadores de bloco em uma parte qualquer do código não relacionada com os comandos citados ou funções não produzirá efeito algum, e será tratada normalmente pelo interpretador.

Exemplo:

if ($x == $y)
  comando1;
  comando2;

Para que comando2 esteja relacionado ao if é preciso utilizar um bloco:

if ($x == $y){
  comando1;
  comando2;
}

Comandos de seleção

Também chamados de condicionais, os comandos de seleção permitem executar comandos ou blocos de comandos com base em testes feitos durante a execução.

if

O mais trivial dos comandos condicionais é o if. Ele testa a condição e executa o comando indicado se o resultado for true (valor diferente de zero). Ele possui duas sintaxes:

if (expressão)
   comando;

if (expressão):
   comando;
   . . .
   comando;
endif;

Para incluir mais de um comando no if da primeira sintaxe, é preciso utilizar um bloco, demarcado por chaves.

O else é um complemento opcional para o if. Se utilizado, o comando será executado se a expressão retornar o valor false (zero). Suas duas sintaxes são:

if (expressão)
   comando;
else
   comando;

if (expressão):
   comando;
   . . .
   comando;
else
   comando;
   . . .
   comando;
endif;

A seguir, temos um exemplo do comando if utilizado com else:

if ($a > $b)
  $maior = $a;
else
  $maior = $b;

O exemplo acima coloca em $maior o maior valor entre $a e $b

Em determinadas situações é necessário fazer mais de um teste, e executar condicionalmente diversos comandos ou blocos de comandos. Para facilitar o entendimento de uma estrutura do tipo:

if (expressao1)
   comando1;
else 
  if (expressao2)
    comando2;
  else
    if (expressao3)
      comando3;
    else
      comando4;

foi criado o comando, também opcional elseif. Ele tem a mesma função de um else e um if usados sequencialmente, como no exemplo acima. Num mesmo if podem ser utilizados diversos elseif’s, ficando essa utilização a critério do programador, que deve zelar pela legibilidade de seu script.

O comando elseif também pode ser utilizado com dois tipos de sintaxe. Em resumo, a sintaxe geral do comando if fica das seguintes maneiras:

if (expressao1)
  comando;
[ elseif (expressao2)
   comando; ]
[ else
   comando; ]

if (expressao1) :
  comando;
   . . .
  comando;
[ elseif (expressao2)
  comando;
   . . .
  comando; ]
[ else
  comando;
   . . .
  comando; ]
endif;

switch

O comando switch atua de maneira semelhante a uma série de comandos if na mesma expressão. Frequentemente o programador pode querer comparar uma variável com diversos valores, e executar um código diferente a depender de qual valor é igual ao da variável.

Quando isso for necessário, deve-se usar o comando switch. O exemplo seguinte mostra dois trechos de código que fazem a mesma coisa, sendo que o primeiro utiliza uma série de if’s e o segundo utiliza switch:

if ($i == 0)
   print “i é igual a zero”;
elseif ($i == 1)
   print “i é igual a um”;
elseif ($i == 2)
   print “i é igual a dois”;

switch ($i) {
   case 0:
     print “i é igual a zero”;
     break;
   case 1:
     print “i é igual a um”;
     break;
   case 2:
     print “i é igual a dois”;
     break;
}

É importante compreender o funcionamento do switch para não cometer enganos. O comando switch testa linha a linha os cases encontrados, e a partir do momento que encontra um valor igual ao da variável testada, passa a executar todos os comandos seguintes, mesmo os que fazem parte de outro teste, até o fim do bloco. por isso usa-se o comando break, quebrando o fluxo e fazendo com que o código seja executado da maneira desejada. Veremos mais sobre o break mais adiante. Veja o exemplo:

switch ($i) {
   case 0:
     print “i é igual a zero”;
   case 1:
     print “i é igual a um”;
   case 2:
     print “i é igual a dois”;
}

No exemplo acima, se $i for igual a zero, os três comandos “print” serão executados. Se $i for igual a 1, os dois últimos “print” serão executados. O comando só funcionará da maneira desejada se $i for igual a 2.

Em outras linguagens que implementam o comando switch, ou similar, os valores a serem testados só podem ser do tipo inteiro. Em PHP é permitido usar valores do tipo string como elementos de teste do comando switch. O exemplo abaixo funciona perfeitamente:

switch ($s) {
   case “casa”:
     print “A casa é amarela”;
   case “arvore”:
     print “a árvore é bonita”;
   case “lampada”:
     print “joao apagou a lampada”;
}

comandos de repetição

while

O while é o comando de repetição (laço) mais simples. Ele testa uma condição e executa um comando, ou um bloco de comandos, até que a condição testada seja falsa. Assim como o if, o while também possui duas sintaxes alternativas:

while (<expressao>)
    <comando>;

while (<expressao>):
    <comando>;
    . . .
    <comando>;
endwhile;

A expressão só é testada a cada vez que o bloco de instruções termina, além do teste inicial. Se o valor da expressão passar a ser false no meio do bloco de instruções, a execução segue até o final do bloco. Se no teste inicial a condição for avaliada como false, o bloco de comandos não será executado.

O exemplo a seguir mostra o uso do while para imprimir os números de 1 a 10:

$i = 1;
while ($i <=10)
  print $i++;

do… while

O laço do..while funciona de maneira bastante semelhante ao while, com a simples diferença que a expressão é testada ao final do bloco de comandos. O laço do..while possui apenas uma sintaxe, que é a seguinte:

do {
   <comando>
   . . .
   <comando>
} while(<expressao>);

O exemplo utilizado para ilustrar o uso do while pode ser feito da seguinte maneira utilizando o while:

$i = 0;
do {
  print ++$i;
} while ($i < 10);

for

O tipo de laço mais complexo é o for. Para os que programam em C, C++ ou Java, a assimilação do funcionamento do for é natural. Mas para aqueles que estão acostumados a linguagens como Pascal, há uma grande mudança para o uso do for. As duas sintaxes permitidas são:

for (<inicializacao>;<condicao>;<incremento>)  
   <comando>;

for (<inicializacao>;<condicao>;<incremento>):  
   <comando>;
   . . .
   <comando>;
endfor;

As três expressões que ficam entre parênteses têm as seguintes finalidades:

Inicialização: comando ou sequencia de comandos a serem realizados antes do inicio do laço. Serve para inicializar variáveis.

Condição: Expressão booleana que define se os comandos que estão dentro do laço serão executados ou não. Enquanto a expressão for verdadeira (valor diferente de zero) os comandos serão executados.

Incremento: Comando executado ao final de cada execução do laço.

Um comando for funciona de maneira semelhante a um while escrito da seguinte forma:

<inicializacao>
while (<condicao>) {
   comandos
   ...
   <incremento>
}

Quebra de fluxo

Break

O comando break pode ser utilizado em laços de do, for e while, além do uso já visto no comando switch. Ao encontrar um break dentro de um desses laços, o interpretador PHP para imediatamente a execução do laço, seguindo normalmente o fluxo do script.

while ($x > 0) {
  ...
  if ($x == 20) {
    echo “erro! x = 20”;
    break;
    ...
  }
}

No trecho de código acima, o laço while tem uma condição para seu término normal ($x <= 0), mas foi utilizado o break para o caso de um término não previsto no início do laço. Assim o interpretador seguirá para o comando seguinte ao laço.

Continue

O comando continue também deve ser utilizado no interior de laços, e funciona de maneira semelhante ao break, com a diferença que o fluxo ao invés de sair do laço volta para o início dele. Vejamos o exemplo:

for ($i = 0; $i < 100; $i++) {
  if ($i % 2)
    continue;
  echo “ $i “;
}

O exemplo acima é uma maneira ineficiente de imprimir os números pares entre 0 e 99. O que o laço faz é testar se o resto da divisão entre o número e 2 é 0. Se for diferente de zero (valor lógico true) o interpretador encontrará um continue, que faz com que os comandos seguintes do interior do laço sejam ignorados, seguindo para a próxima iteração.













Comments

Leave a Reply






Últimos posts