O Big Data irá revolucionar o mundo da moda

Author: Ricardo Soares - Postado em: 21/11/2013
Relacionado as categorias: Diversos |  





Muito se fala sobre Big Data e como este conceito deve mudar a forma das empresas analisarem as coisas, mas a verdade é que poucos efetivamente sabem o que é o Big Data. A forma mais simples explica Big Data como um conjunto de soluções tecnológicas para lidar com dados digitais em volume, variedade e velocidade inéditos até hoje. Na prática, o Big Data permite analisar qualquer tipo de informação digital em tempo real, facilitando a tomada de decisões.

A solução é marcada por lidar com dados não-estruturados, que até então necessitavam de interação humana para serem compreendidos, já que dependiam de contexto, como tweets, posts no Facebook, vídeos, geolocalização, comportamento de clientes, entre outros.

Diversos estudos indicam que os dados não-estruturados representam 85% das informações com as quais as empresas lidam hoje em dia. E, com isso, o Big Data se faz ideal para toda e qualquer companhia, independentemente do setor que atua.

No mundo da moda isso é tão importante ou até mais que em outros setores, uma vez que o setor sempre foi baseado no ‘achismo’ ou no que falavam ‘influenciadores’, nunca teve informação e inteligência para direcionar os lançamentos e as ações.

Por meio do Big Data é possível analisar a interação diária dos usuários com centenas de produtos e marcas, alcançar dados apurados para que melhores decisões sejam tomadas pelo setor como um todo, desde campanhas com a marca até a produção de novas coleções, mais precisas e de acordo com o que o público deseja.

O Big Data deve revolucionar o mundo da moda por gerar oportunidades de auxiliar marcas a traçarem novas estratégias com perfis mais apurados de seu consumidor. Será possível identificar produtos de sucesso e, a partir deles, criar vitrines, aprimorar comunicação, planejar produção, dentre outras ações. São inúmeras possibilidades que antes não existiam, pela ausência de inteligência de dados na indústria da Moda.

* Por Flávio Pripas, sócio fundador da rede social de moda Fashion.me: http://fashion.me













Comments

Leave a Reply






Últimos posts